Santanews Workwear

OS CUSTOS DA QUALIDADE

Você sabe o que são os custos da qualidade?

Em linhas gerais, não são somente os custos necessários para criar um produto com boa qualidade (o que, convenhamos, é obrigação). São também, em grande parte, os custos de criar e produzir um produto de baixa qualidade, incorrendo em custos incrementais que não existiriam.

Isso pode indicar, grosso modo, que, se sua empresa tem gastos para desenvolver produtos de boa qualidade, porém os custos da “não qualidade” também são altos, algo está muito errado no sistema, trazendo um alto encargo financeiro para seu produto.

Os custos da qualidade e da não qualidade pode ser divididos, basicamente, em três tipos:

1- CUSTO DAS FALHAS: são aqueles relacionados efetivamente aos produtos, ou seja, fruto de um sistema de projeto e produção com problemas. Muitos autores os citam como custos da não qualidade. Eles podem ser divididos em:

a) Custo das falhas internas: são aqueles custos decorrentes de problemas detectados antes da entrega dos produtos ao cliente, como, por exemplo, algo comum em empresas de vestuário, fazer uma inspeção em 100% do lote produzido, pois a amostragem encontrou defeitos além do estabelecido. Consertos (retrabalho) também são um bom exemplo.

b) Custo das falhas externas: são aqueles decorrentes de problemas detectados após a entrega do produto ao cliente. Um bom exemplo seriam as trocas ou reposições de produtos feitas a ele (cliente). Na indústria automobilística, há um exemplo milionário, os “recalls”.

2- CUSTOS DE PREVENÇÃO: são os custos decorrentes de todas as atividades destinadas a evitar produtos de baixa qualidade, como planejamento de sistemas de qualidade, treinamento de equipe de qualidade, etc.

3- CUSTOS DE AVALIAÇÃO: são os custos decorrentes das atividades de avaliação de qualidade dos produtos, como inspeções, manutenção de laboratórios, etc.

Caro leitor, para conduzir sua empresa a um patamar competitivo nesse mercado, você deve fazer produtos com um nível de qualidade superior ao da concorrência, seja ela de onde for. E, para acompanhar em termos de custo, é necessário enxugar ao máximo sua estrutura, portanto, você deve tomar como base algumas ações:

       - Faça um planejamento de qualidade para sua empresa, estipulando padrões, controles e, principalmente, conscientizando seu pessoal acerca da qualidade ds produtos e da necessidade de seguir os procedimentos e checar os padrões;

       - Acompanhe sempre os índices de sua empresa;

       - Procure calcular quanto você gasta para corrigir problemas (custos da não qualidade, item 1), pois esses podem ser reduzidos e, quando envolvem o nome da empresa diretamente junto ao consumidor, podem trazer prejuízos muito grandes, tanto financeiros quanto de imagem.

Com planejamento adequando e perseverança, pode-se alcançar ótimos níveis de qualidade de produtos e diminuir, e muito, o custo total de produção.

FÁBIO ROMITO
Técnico têxtil, administrador de empresas e mestre em engenharia de produção. Atua no mercado de confecção há mais de 25 anos, sendo quase 20 dedicados a consultoria e treinamento em empresas de vestuário. É professor universitário em cursos de graduação e pós-graduação nas áreas de moda e administração.
romitofabio@gmail.com

 

Fonte: http://textileindustry.ning.com/forum/topics/os-custos-da-qualidade?xg_source=msg_mes_network

OS CUSTOS DA QUALIDADE

A marca Workland é a nova fornecedora do Grupo ULTRAGAZ

O Grupo ULTRAGAZ realizou o evento Clube de Compras para reunir seus fornecedores e a Workland esteve lá...

OS CUSTOS DA QUALIDADE

XVI SENABOM - Seminário Nacional de Bombeiros

A Santanense vai marcar presença no Senabom 2016, principal congresso de bombeiros do país...

OS CUSTOS DA QUALIDADE

SANTANENSE na FISP 2016

Mais uma vez a Santanense se destacou na FISP, sendo um dos stands mais visitados.